Olá Viajante,

Você sabia que a região da Serra do Piloto, no Vale do Café, há pouco mais de 100 quilômetros da cidade do Rio de Janeiro, abriga um dos parques arqueológicos mais importantes do Brasil? Esse é São João Marcos, que um dia foi uma das cidades mais prósperas do estado do Rio e que hoje está aberta para visitação.

A gente ficou sabendo da existência de São João Marcos por acaso.  E também foi uma surpresa saber que antes da pandemia o parque recebia até 10 mil visitantes por ano. Fechado desde março de 2020, São João Marcos está no momento na primeira fase de reabertura, recebendo visitas apenas aos sábados – apenas agendadas e limitadas a 20 pessoas (cinco grupos de no máximo quatro pessoas da mesma família em cada grupo). Você vai encontrar mais informações sobre como acontecem as visitas e sobre como agendar a sua ao final desse post.

Maquete da antiga cidade de São João Marcos
Maquete da antiga cidade de São João Marcos

São João Marcos foi fundada em 1739 e chegou a ter 18 mil habitantes, sendo inclusive ponto de partida da primeira Estrada de Rodagem do país, que ligava a cidade até o porto de Mangaratiba, no litoral fluminense. Interessante ressaltar que desses 18 mil, aproximadamente 8 mil eram escravos. A partir do fim do Ciclo do Café e com as epidemias de malária que assolaram a região, a cidade começou a entrar em declínio e a perder importância no cenário estadual.

Com a construção da Represa de Ribeirão das Lajes, criada no início do século XX para fornecer água e energia elétrica para a cidade do Rio de Janeiro, a São João Marcos entrou ainda mais em decadência, pois uma parte da cidade foi coberta pelas águas do lago que se formou. Até que no início dos anos de 1940 feio o golpe fatal para São João Marcos.

Centro de Visitação
Centro de Visitação – Wagner Zaccharias, mediador do Parque São João Marcos

Uma ampliação da capacidade da represa fez com que a cidade fosse completamente desapropriada a partir de 1940. Tudo isso para por em funcionamento a Usina de Fontes Nova, que até hoje está em funcionamento e fornece energia elétrica para o Rio de Janeiro.

Então os habitantes foram indenizados e transferidos para municípios vizinhos. Os prédios e casa foram então demolidos, para evitar que fossem novamente ocupados por  invasores. Restou sem demolir apenas a igreja matriz. Reza a lenda que entre os operários não houve quem tivesse coragem de destruir o prédio da igreja, considerado sagrado. Restou então a explosão, que foi feita a base de dinamite.

Igreja Matriz de São João Marcos
Ruínas da Igreja Matriz de São João Marcos

Os anos se passaram. Algumas décadas ficaram para trás e as ruínas da cidade se perderam em meio ao verde. Até que em 2008 o Instituto Light, em parceria com o governo do estado, iniciaram um projeto para construir o Parque Arqueológico de São João Marcos.

Foi iniciado então um trabalho de resgate da história da cidade, em conjunto com um trabalho arqueológico, para que se pudesse escavar e resgatar os locais mais importantes da antiga cidade.  Nesse período foram retirados materiais onde o trabalho cuidadoso dos arqueólogos veio com a escavação que a partir de 20 centímetros a até quase um metro de profundidade.

Colunas com azulejos portugueses, encontradas durante as escavações arqueológicas
Colunas com azulejos portugueses, encontradas durante as escavações arqueológicas

Até que em 2011, ou seja, há exatos 10 anos, em 26 de junho de 2011, o parque foi inaugurado. Em São João Marcos como existe hoje você vai encontrar um Centro de Memória, com uma maquete de como era a cidade em seu auge. Há também painéis contanto a história do lugar, além de itens de época, não só objetos de escavação mas também de doações.

Em março de 2020, com a Pandemia do Novo Coronavírus, o parque fechou para visitação. Mas a partir de agora já é possível voltar a visitar São João Marcos. Nessa primeira fase de retomada as visitas acontecem apenas aos sábados, em dois turnos: às 9h da manhã e as duas horas da tarde. Mas como são permitidas as visitas de apenas cinco grupo de no máximo quatro pessoas da mesma família por grupo, é necessário que a visita seja feita com  agendamento prévio.

Parque Arqueológico de São João Marcos
Parque Arqueológico de São João Marcos

Para agendar sua visita você precisa acessar o site https://saojoaomarcos.com.br/visitasegura e fazer a sua inscrição. Mas atenção: o agendamento somente pode ser feito a partir das 18h das sextas-feiras, até as 10h da manhã das segundas, exclusivamente para o sábado seguinte ao da inscrição. E como os grupos são reduzidos, as vagas também são limitadas e podem se encerrar rapidamente. Então a nossa dica e se inscrever assim que as inscrições são liberadas, ainda na noite de sexta-feira.

Busto de Feliciano Sodré
Busto de Feliciano Sodré – marco histórico de São João Marcos, que foi trazido de volta e recolocado no seu lugar de origem.

Depois de inscrito, em alguns dias, você vai receber a confirmação de sua inscrição por e-mail e também um contato no telefone do cadastro. Mas como as vagas são preenchidas por ordem do pedido, se o número de vagas, no momento da sua inscrição tiver sido atingido. o contato vai ser para avisar que não havia mais vagas. Mais um motivo para você se inscrever assim que as inscrições são liberadas, a partir das 18h das sextas-feiras.

Vista das torres da Igreja Matriz a partir do cruzeiro da praça central de São João Marcos
Vista das torres da Igreja Matriz a partir do cruzeiro da praça central de São João Marcos

E o mais bacana é que a visita é totalmente gratuita. Você só vai gastar se quiser provar um delicioso pastel de forno, as balas de banana ou os quadradinhos de doce de leite artesanal que são vendidos no quiosque que funciona dentro do parque. Mas com não há sinal de celular por lá, não esqueça de levar dinheiro, já que lá não aceita cartão de crédito ou de débito.

Como Chegar

Existem duas maneiras de chegar ao Parque Arqueológico e Ambiental de São João Marcos, saindo da cidade do Rio de Janeiro:

PELO LITORAL
• Siga a Avenida Brasil em direção a Santa Cruz.
• Entre na rodovia Rio-Santos (BR-101) em direção a Angra dos Reis.
• No trevo de Mangaratiba, vire à direita para pegar a Serra do Piloto (RJ-149).
• Alguns trechos estão protegidos pelo Patrimônio Histórico Nacional e por isso mantém o calçamento original de pedras e terra.
• Subindo a estrada em sentido a cidade de Rio Claro, a entrada do Parque fica à direita da pista, aproximadamente 20km de Mangaratiba.

PELA SERRA
• Siga a Via Dutra (BR-116) em direção a São Paulo.
• Pegue a saída 237 e, em seguida, vire à esquerda em direção a cidade de Rio Claro.
• Ao passar pela entrada da cidade de Rio Claro, vire à esquerda, entre na estrada RJ-149.
• Descendo a estrada em sentido a Mangaratiba, a entrada do Parque fica à esquerda da pista, aproximadamente 20km de Rio Claro.

Casa do Capitão-Mor, que teve parte da fachada reconstruída
Casa do Capitão-Mor, que teve parte da fachada reconstruída

Endereço do Parque:

Estrada RJ 149, km 20
(estrada Rio Claro – Mangaratiba)
Rio Claro – RJ

Funcionamento:
Somente aos sábados
Turno da manhã: das 9h às 11h00
Turno da tarde: das 14h às 16h00

Mapa do Parque Arqueológico e Ambiental São João Marcos
Mapa do Parque Arqueológico e Ambiental São João Marcos

Atualizaçãodevido ao agravamento da pandemia o parque voltou a fechar para visitação em abril de 2021. Em agosto de 2021 o parque reabriu exclusivamente as pessoas já completamente vacinadas contra a Covid-19. As visitas seguem exclusivamente através de agendamento online. Sugerimos que consulte o site saojoaomarcos.com.br para atualizações sobre a abertura do parque ao público.