No momento você está vendo Como funciona o Global Entry

Como funciona o Global Entry

Olá viajante,

No post de hoje falaremos sobre o nosso processo de aplicação ao programa “Global Entry”, que facilita e entrada e saída dos Estados Unidos e que faz parte do “Trusted Traveler Programs”, ou algo como “Programas para Viajantes Confiáveis” em português. 

Além do Global Entry, o TSA Pre, o Nexus, Sentri e Fast são os outros programas para viajantes confiáveis. Nesse post falaremos apenas do Global Entry e do TSA Pre, que são os que se aplicam aos brasileiros. 

O que é o Global Entry?

O Global Entry é um programa do Governo Americano que tem como objetivo facilitar a entrada de “passageiros acreditados”, ou seja, que passaram por um segundo processo de checagem e foram aprovados para ter a “entrada facilitada” quando retornam aos Estados Unidos. 

O Global Entry é uma espécie de “fura-filas”, com validade de cinco anos, em que o viajante não precisa enfrentar as longas filas na imigração americana. Nesse caso é só seguir para os quiosques do Global Entry, escanear o passaporte e fazer a biometria. Pronto! Você não precisará entrar em nenhuma fila e nem passar por entrevista com o oficial de imigração.  Em alguns quiosques do Global Entry o processo é ainda mais rápido e funciona com reconhecimento facial. 

O Global Entry poderá ser utilizado pelos viajantes que chegam aos Estados Unidos através dos aeroportos, por terra ou pelo mar.  A lista completa dos aeroportos que possuem quiosques do programa Global Entry pode ser acessada em https://www.tsa.gov/precheck/map . Ao ter o Global Entry aprovado você também terá direito ao programa “TSA Pre” sem custo adicional. Falaremos sobre o “TSA Pre” mais à frente. 

O programa Global Entry é administrado pelo “Department of Homeland Security”, DHS, que em português significa algo como “Departamento de Segurança Interna”. Quando viajamos aos Estados Unidos o agente da imigração, que carimba o passaporte e analisa a sua entrada, pertence ao DHS.  

Atualmente, em dezembro de 2022, o programa Global Entry está aberto para inscrição aos cidadãos americanos e aos que possuem residência permanente (Green Card) nos Estados Unidos. 

Além desses dois casos, cidadãos de 16 países e do Brasil fazem parte de um seleto grupo que também pode aplicar para o Global Entry. São eles: Alemanha, Argentina, Austrália, Bahrein, Canadá, Colômbia, Coreia do Sul, Índia, México, Nova Zelândia, Países Baixos (Holanda), Panamá, Reino Unido, Singapura, Suíça e Taiwan. 

Depois de mais de 10 anos de negociação entre os governos americano e brasileiro, nosso país passou a fazer parte dessa lista em fevereiro de 2022. Porém, novos pedidos foram suspensos ainda em fevereiro e apenas em agosto voltaram a ser aceitos.

As informações sobre as regras válidas para brasileiros que desejam aplicar para o programa Global Entry estão disponíveis em https://www.cbp.gov/travel/trusted-traveler-programs/global-entry/international-arrangements/global-entry-citizens-brazil

Como aplicar para o Global Entry

Teoricamente, se você é brasileiro nato, há apenas uma exigência para você aplicar para o programa Global Entry: você precisa ter um visto americano válido. 

Acesse aqui para ler nosso post com o passo a passo de como aplicar para o Global Entry

Fases do processo para o Global Entry

Para fazer o processo de associação ao programa Global Entry você precisará passar por três fases: 

1) preencher o pedido e pagar a taxa. (o valor da taxa é de 100 dólares por pessoa e não será reembolsado se o seu pedido não for aprovado); 

2) aguardar a aprovação e 

3) passar por uma entrevista pessoal. 

Se você for aprovado nessa entrevista final, o oficial da imigração americana irá informar a você o seu número no programa Global Entry, para você já utilizar nas próximas viagens. Esse número também seguirá por e-mail e estará disponível no site do DHS, no mesmo local em que você fez a sua inscrição. 

O processo de aplicação para o programa Global Entry pode ser feito no endereço https://ttp.cbp.dhs.gov. O preenchimento é em inglês e você deverá fornecer informações sobre passaporte, visto americano, carteira de habilitação, dados pessoais, endereços, informações profissionais e de emprego e histórico de viagens ao exterior. 

Se precisar de ajuda para aplicar no programa Global Entry, acesse esse post com o “passo a passo” para o preenchimento on-line do pedido ou fale com a gente por mensagem ou pelo WhatsApp: +55 (21) 97925-4747

Quanto tempo demora o processo?

No momento, o DHS informa que os novos pedidos podem demorar de 6 a 18 meses para serem concluídos. O prazo “normal” seria de 4 a 6 meses. No nosso caso foram três dias, incluindo um sábado e um domingo. Mas temos lido relatos de pessoas que fizeram o pedido em fevereiro e até agora (esse texto foi escrito em dezembro de 2022) ainda aguardam a aprovação.

Aviso no site do BPC sobre o prazo de até 18 meses para completar o processo de solicitação do Global Entry.

Então, não é possível afirmar se o seu processo de aprovação será rápido ou não, ou mesmo se você será ou não aprovado. Os critérios de aprovação não são divulgados e o fato de você ter um visto americano válido não é uma garantia de aprovação no Global Entry. 

Acreditamos que o histórico de visitas aos Estados Unidos e outros países, idade, vínculos com o Brasil, além de outras características do perfil do viajante sejam analisadas para essa aprovação. 

No nosso caso, preenchi meu pedido e o da Leda ao Global Entry na tarde do dia 16 de setembro, uma sexta-feira. Nossos pedidos foram atualizados no dia 19 de setembro, segunda-feira, para o status “Conditional Approval”. Ou seja, em apenas um dia útil tivemos a análise do pedido. 

Quiosque do Global Entry com reconhecimento facial (Imagem: CBP Public Affairs)

O status “Conditional Approval” significa que a solicitação foi aprovada e que o solicitante está apto para a fase final da aplicação ao programa Global Entry: a entrevista pessoal. 

Imprima a carta do “Conditional Approval” e leve com você para o passo final do processo do Global Entry: a entrevista. Além da carta, o site do DHS informa ser necessário levar sua carteira de habilitação ou outro documento de identidade oficial e um comprovante de residência, além do passaporte (ou passaportes, se o seu visto americano estiver em um passaporte vencido). 

Essa entrevista pessoal pode ser feita de duas maneiras: por agendamento prévio, realizado no site do programa, ou na sua próxima entrada nos Estados Unidos. Essa segunda opção é chamada ‘Enrollment on Arrival’, o que seria em português algo como ‘Inscrição na chegada’. 

Atualização de 15/02/2024: Agora também é possível fazer a entrevista no momento da saída dos Estados Unidos, exclusivamente no aeroporto de Washington (IAD). O guichê de entrevista do Global Entry fica em frente ao portão B41 e funciona do meio dia às oito da noite.

Como está praticamente impossível fazer um agendamento prévio pelo site do programa, optamos pelo ‘Enrollment on Arrival’, que é mais descomplicado.  Nesse caso, você faz a entrevista em sua próxima viagem aos Estados Unidos, sem necessidade de marcação e em um guichê exclusivo para isso. 

Após a análise do pedido e a mudança do status para “Conditional Approval”, você terá até um ano para concluir o processo e fazer a entrevista. 

Os principais aeroportos de entrada de brasileiros nos Estados Unidos possuem guichês  para o “Enrollment on Arrival”. Entre eles estão os aeroportos de Miami (MIA), Fort Lauderdale (FLL), Orlando (MCO), Dalas (DFW), Houston (IAH), Nova Iorque (JFK), Charlotte (CLT), Los Angeles (LAX), San Francisco (SFO) e Las Vegas (LAS). A lista completa dos aeroportos com guichês do “Global Entry Enrollment on Arrival” está disponível em https://www.cbp.gov/travel/trusted-traveler-programs/global-entry/enrollment-arrival

Quando desembarcamos no Aeroporto JFK, em Nova Iorque, na manhã do dia 9 de novembro, ao chegar no saguão da imigração, perguntamos a uma funcionária onde era o guichê do “Global Entry – Enrollment on Arrival”. Ela nos orientou então a seguir diretamente para os quiosques do Global Entry. Como ainda não tínhamos o número Global Entry, outra funcionária viu a nossa carta do “Conditional Approval” e nos encaminhou para o próximo oficial de imigração disponível. Ou seja, mesmo antes da entrevista já “furamos a primeira fila”, que estava enorme. 

Fizemos a imigração normalmente, com as perguntas de praxe, e a oficial da imigração, depois de carimbar nossos passaportes, nos orientou a pegar as malas e seguir para o guichê do “Enrollment on Arrival”, onde, aí sim, iríamos passar pela entrevista, última etapa do nosso processo do Global Entry. Parece complicado, e é, principalmente se você tiver alguma dificuldade com o idioma. Mas depois dessa nossa dica, você já fica sabendo como é o procedimento, caso seja parecido com o seu. 

Passamos então para a entrevista propriamente dita do Global Entry. Depois de pegar as malas, antes da saída, havia uma placa sinalizando o local para a entrevista. 

Global Entry Enrollment on Arrival (EoA) no Aeroporto JFK em Nova Iorque

Nessa placa, algumas orientações: o processo de entrevista leva aproximadamente 15 minutos; tripulação e passageiros em conexões com pouco tempo tem prioridade; o uso de celulares durante a entrevista é proibido, assim como também é proibido debruçar sobre o balcão ou olhar a tela do computador do agente da imigração. Nada de mais, certo?

Na nossa frente, quatro pessoas: um homem, um casal e uma mulher, todos brasileiros. Atrás de nós um casal de indianos e um homem, além de outro homem, que acabou desistindo e indo embora. A entrevista das pessoas na nossa frente não demorou muito. Acredito que devemos ter esperado uns 20/30 minutos até sermos chamados. 

Havia apenas um agente atendendo, que nos fez perguntas básicas, sobre trabalho e outras informações que preenchemos quando fizemos o pedido. O agente foi cordial e ainda conversamos sobre outros assuntos, inclusive sobre o blog de viagens. 

Ouvimos relatos que essa entrevista varia muito, dependendo do aeroporto, do oficial da imigração que faz a entrevista, ou do perfil do viajante. Há casos de terem sido bem criteriosas, “salinha” e muitos questionamentos. No nosso caso não houve nada disso. Como dissemos, o agente foi cordial e toda a conversa correu de forma natural e tranquila. 

Uma dúvida que a gente tinha era sobre a entrevista ser ou não individual e a possibilidade de eu e a Leda ficarmos juntos durante o processo. No nosso caso (e do outro casal na nossa frente) ele chamou a nós dois. Embora o processo de entrevista e aprovação seja individual, pudemos fazer o processo juntos: primeiro o meu e depois o da Leda. 

Além das perguntas, o oficial pediu nossos passaportes, fez a coleta da biometria, primeiro dos quatro dedos (do indicador ao mínimo) e depois do polegar. Foi coletada também a imagem do rosto, sem máscara e sem óculos. Embora tenhamos ficado juntos todo o tempo, o processo foi realizado individualmente, primeiro o meu e depois o da Leda. O oficial não pediu outro documento além do passaporte e nem o comprovante de residência. Nosso endereço foi confirmado apenas verbalmente. 

Ao final do processo, o agente forneceu uma folha de papel para cada um, com informações sobre o Global Entry e o nosso número no programa anotado a caneta. Esse número do programa é o mesmo usado para o TSA Pre, e que já estava válido para utilização a partir daquele momento. 

Um detalhe chamou minha atenção. O programa Global Entry é válido por cinco anos e eu acreditava que essa validade era contada a partir da data em que fomos aprovados, ou seja, 9 de novembro de 2022, o que significaria uma validade até 8 de novembro de 2027. No entanto meu Global Entry está válido até o dia 3 de abril de 2028, data no meu aniversário. Assim, “ganhei” quase cinco meses a mais na validade do programa. 

No caso da Leda, que faz aniversário em agosto, a vantagem foi ainda maior, com quase seis anos de validade, que vai até agosto de 2028. 

TSA Pre 

O TSA Pre, que está incluído na associação Global Entry, também funciona como um “fura-filas”, mas para ser usado na saída dos Estados Unidos. 

Entrada exclusiva do TSA Pre no terminal 8 do aeroporto JFK em Nova Iorque

Enquanto o Global Entry oferece o benefício de “furar” a fila da imigração na chegada aos Estados Unidos, o TSA Pre consiste no privilégio de “furar a fila da segurança”, ao sair dos Estados Unidos ou ao embarcar para voos domésticos. Sabe aquele processo de tirar os saquinhos de líquidos da mala? Tirar os sapatos e cinto? Colocar o notebook separado? Com o TSA Pre você está liberado para passar pela segurança sem precisar fazer nada disso. 

E o melhor: há uma fila exclusiva para o TSA Pre. No nosso caso, quando saímos dos Estados Unidos no dia 24 de novembro, não havia ninguém na nossa frente na fila do TSA Pre. Na fila normal havia pelo menos umas 15 pessoas. Temos ouvidos relatos de filas na segurança no embarque dos aeroportos com mais de duas horas de espera. Com o TSA Pre você se livra dessas filas imensas…

O TSA Pre está disponível em mais de 200 aeroportos americanos. A lista completa pode ser acessada em https://www.tsa.gov/precheck/map. Quase 90 companhias áreas tem convênio com o TSA Pre para seus passageiros, incluindo Latam e Azul. A lista completa está disponível em https://www.tsa.gov/precheck/participating-airlines.

O Global Entry vale a pena?

Se analisarmos apenas o custo, a associação ao Global Entry, de 100 dólares por cinco anos, representa 20 dólares ao ano, algo em torno de 9 reais ao mês ou 110 reais por ano. Se você fizer uma viagem por ano aos Estados Unidos e economizar uma hora de fila na chegada, após 10 horas de voo, além de não precisar passar pela entrevista, já valeu a pena. Se fizer mais de uma viagem, esse benefício se multiplica. A inclusão do TSA Pre nessa conta ainda dá mais vantagem nessa relação. 

A taxa de 100 dólares, dividida em várias viagens aos Estados Unidos, nos 5 anos de validade da associação, acaba custando quase nada! Nossa conclusão é a de que se você viaja pelo menos uma vez por ano aos Estados Unidos, o Global Entry poderá ser uma excelente opção para quem quer ganhar tempo nos aeroportos americanos. Para a gente, só por essa última viagem já valeu a pena!

Se você não faz questão de esperar na fila da imigração, se não se incomoda de passar pela entrevista e não se importa de enfrentar a fila da segurança, de ter que tirar os sapatos, cinto, o saquinho com os líquidos e notebook, o Global Entry pode não ser uma boa opção para você, pois os benefícios do programa são “apenas” esses. 

Renovação do Global Entry

O processo de renovação do Global Entry pode ser iniciado quando a validade do seu status for menor do que um ano. No meu caso, como a validade do meu Global Entry é até o dia 3 de abril de 2028, só poderei renovar depois do dia 4 de abril de 2027. 

Assim como acontece com a renovação do visto americano, o Departamento de Homeland Security, responsável pelo Global Entry, informa que a entrevista, obrigatória para o primeiro pedido, pode não ser necessária quando da renovação no programa. Na renovação será necessário então passar apenas por dois passos: solicitar a renovação e pagar a taxa e esperar a aprovação. 

Em 2027, quando a gente for renovar a nossa associação ao programa Global Entry, contaremos para vocês como será esse processo de renovação. 

Por fim, lembramos que se você precisar de ajuda para fazer o seu pedido de associação ao programa Global Entry, acesse esse post com o “passo a passo” para o preenchimento on-line do pedido ou fale com a gente por mensagem ou pelo WhatsApp: +55 (21) 97925-4747. Teremos o maior prazer em ajudar a planejar a viagem perfeita para você!

Até o próximo post, Viajante!

Este post tem 6 comentários

  1. Egon Eduardo

    Bom dia.
    Uma dúvida. vocês receberam algum cartão do Global Entry depois de aprovados?

    1. Viajante Rei

      Olá! O cartão físico não está disponível para quem reside no exterior (nosso caso). Recebemos apenas nosso número do Global Entry, que é o mesmo para usar no TSA Pre.

  2. Fabricio

    Obrigado pelas dicas, ajudaram muito, vou solicitar meu nos próximos dias, depois aviso se deu certo. Parabéns pelo blog.

    1. Viajante Rei

      Obrigado Fabricio.

  3. Suzana C. Ramos

    APliquei em MAIO/23 e até agora nada. E agora pode demorar ate 18 meses ne

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.