Slow Travel

A “slow travel” é uma tendência de viagem que conquista a cada ano mais fãs. Mas será que “slow travel” é uma viagem “lenta”, “chata” ou “tediosa”? A “slow travel” foi pensada justamente em levar o viajante a ter uma verdadeira imersão no destino de sua visita: com experiências únicas, exclusivas, focada na qualidade do destino e não na quantidade de lugares que irá conhecer. E isso não tem nada de chato ou tedioso!

Já ouviu alguém falar que voltou das férias mais cansado do que saiu, por causa da “maratona” de conhecer sete países europeus em 14 dias de viagem, com excursões de ônibus que percorrem meio continente em duas semanas? Se você procura algo diferente disso, mesmo que precise abrir mão de conhecer determinados pontos turísticos, com o objetivo de privilegiar uma maior conexão com o destino escolhido, a Slow Travel pode ser o tipo de viagem ideal para você.

Os pacotes Slow Travel são montados priorizando conhecer melhor cada lugar, com mais profundidade, sem a obrigação de cumprir cronogramas, ou seja, com maior flexibilidade e dentro do seu ritmo.

Exemplo de Pacote Slow Travel

Quer conhecer um bom exemplo de um pacote Slow Travel? A Queensberry ofecere algumas opções, como essa de 11 dias para Côte D’Azur e Provence, visitando Paris, Nice, Cannes, Grimaud, Saint-Tropez, St. Paul de Vence, Grasse, Aix-En-Provence, St. Remy de Provence, Baux de Provence, Avignon, Châteauneuf-du-Pape, Luberon, Roussillon e Gordes. Nesse pacote o viajante irá se hospedar em três cidades diferentes. São quatro noites em Cannes, em plena Côte d’Azur; quatro noites em St. Remy, na Região da Provence, além de três noites em Paris, cidade em que começa e termina o pacote da viagem.

Com uma viagem com foco local, como essa para Côte D’Azur e Provence é possível conhecer mais a fundo St. Tropez, a medieval Grimaud, a Grasse e a poética St. Paul de Vence. O viajante pode ainda fazer um tour ate Aix-en-Provence e a histórica Avignon; degustar os vinhos em Châteauneuf-du-Pape, conhecer Baux de Provence, Gordes e Roussillon, o Parque do Luberon e visitar o Museu da Lavanda, além da incrível experiência do trem de alta velocidade (TGV) que liga Avignon até Paris.

Slow Travel – Espanha

Lembra da última pergunta da lista, no início desse texto, sobre quantos dias se deve ficar em Barcelona? O que você acha dessa sugestão, também da Queenberry, de uma Slow Travel para Andaluzia e Costa do Sul? São 16 noites, visitando Sevilha, Pueblos Blancos, Ronda, Marbella, Málaga, Granada, Murcia, Alicante, Costa Blanca, Valência, Tarragona e Barcelona? Parece muito? Veja como ficou o roteiro:

  • 3 noites em Sevilha, o coração da Andaluzia.
  • 3 noites em Málaga, na Costa do Sol.
  • 2 noites em Granada.
  • 2 noites em Alicante.
  • 3 noites em Valência.
  • 3 noites na capital da Catalunha: Barcelona

Você vai poder conhecer sem correria a surpreendente Andaluzia, com seus ritmos, cores e sabores: a monumental Sevilha e a Rota dos Pueblos Blancos, com destaque para a esplêndida Ronda, que paira no ar. Explorar a ensolarada Costa do Sol, com a acolhedora Málaga e a charmosa Marbella. Fazer um tour pela monumental Granada, em todo esplendor de suas joias arquitetônicas.

Vai poder se encantar com as cidades de Múrcia e Alicante, terras que já foram dos fenícios, romanos e mouros, um rico legado histórico, arquitetônico e cultural. Conhecer a deslumbrante Valência, e vivenciar a experiência de aprender e cozinhar a Paella, seu prato mais típico, regada a um bom vinho espanhol.

E ainda tem mais: conhecer as mais belas paisagens da Costa Branca e Dourada, descobrir Tarragona e seus vestígios romanos emoldurados por um mar azul, além de aproveitar sempre alegre e badalada Barcelona, constante fonte de inspiração, para finalizar com chave de ouro um roteiro mais do que especial do sul da Espanha.

Slow Travel – Itália, Suíça e Paris

Mais uma opção de pacote Slow Travel é esse, oferecido pela Europamundo. São 16 dias, visitando Itália, Suíça e Paris. Veja abaixo mais detalhes sobre o roteiro:

São quatro dias em Roma e em seguida um deslocamento até Paris, com um dia em Siena; dois dias em Florença, um dia em Gênova, um dia em Milão, um dia em Veneza, um dia em Zurique. Chegando em Paris, são mais quatro dias em Paris, encerrando o roteiro.

Parece corrido? Veja só o que dá para fazer nesses 17 dias, de forma tranquila e sem afobação: os quatro dias em Roma são suficientes para explorar a cidade, seja para fazer passeios de turista e visitar pontos turísticos tradicionais ou para explorar mais a fundo lugares específicos, como o bairro de Trastévere, ou ainda pegar o trem e visitar Nápoles, Herculano, Capri e Pompeia.

Roma

Depois de quatro dias em Roma que tal pegar a estrada para Paris, sem correria? Você vai poder explorar a região da Toscana, parar em Umbria e explorar Orvieto, uma cidade medieval que é um dos lugares mais encantadores da Itália. Quer tal seguir viagem até Castiglione del Lago, às margens do lago Trasimeno, almoçar por lá e explorar um pouco a cidade? Para fechar o dia, aproveite para conhecer Siena, cidade sede da região da Toscana, com sua famosa Piazza del Campo e o Duomo.

Florença

Seguindo caminho no dia seguinte, cujo destino é Florença, a dica é conhecer duas cidades medievais: Monteriggioni e San Gimignano. Aproveite a tarde e noite para explorar Florença, cidade dedicada para esses que são o sexto e sétimo dia desse roteiro. O dia seguinte poderá visitar a cidade que é o símbolo da Renascença e uma das cidades mais famosas do mundo por sua arte e história, incluindo uma visita ao Mirante de Michelangelo.

Gênova

No dia seguinte siga para Gênova, cidade da região da Ligúria e de onde partiram os navios que trouxeram a maioria dos imigrantes italianos para o Brasil. No caminho para Gênova é possível fazer por trem uma visita até a cidade de Pisa e o Campo dos Milagres.

Depois siga pela Costa da Ligúria, com uma das paisagens marítimas mais lindas da Europa, até Cinque Terre, cinco vilas praticamente ilhadas e que sobrevivem da pesca e do turismo. Seguindo de trem até Vernazza aproveite para almoçar e conhecer a Igreja de Santa Margarida construída em 1318 e que fica às margens do mar. Siga ainda de trem até Levanto, cidade famosa pelo molho Pesto, e de onde seguiremos até Gênova, destino final desse dia.

Milão

No nono dia do roteiro o destino é Milão. Antes de chegar a capital italiana da Moda e famosa pelo Duomo, passaremos por duas cidades: a primeira é Rapallo, onde embarcará para Portofino, um dos lugares mais exclusivos da Europa, onde poderá almoçar e explorar a cidade. Aliás, Portofino é tão exclusiva que tem até um site para destacar todo esse glamour: https://portofino.it/italy.  Depois de um tempo por lá seguiremos até Milão, onde poderá aproveitar a tarde e noite.

Veneza

No dia seguinte seguiremos para Veneza, onde o recomendado é que a hospedagem seja realmente na cidade de Veneza não em cidades próximas, como Marghera e Mestre. Neste caso, tenha em mente que os preços das diárias serão mais altos do que os de fora da cidade. Embora o pacote da Europamundo tenha previsão de hospedagem apenas em hotéis de categoria quatro estrelas, todos são na região de Mestre.

Zurique

Começamos o dia com a entrada na Suíça, quando seguimos destino até  Zurique, a capital financeira do país. No caminho passaremos por duas cidades: Lugano e Lucerna. A primeira na região dos Lagos Alpinos, sede do Cantão Suíço de língua italiana, onde haverá tempo para almoçar e explorar a cidade.

Depois de atravessar o túnel de São Gotardo (túnel que é considerado o mais longo do mundo, com 57 km de extensão) seguiremos até Lucerna, cidade localizada às margens do Lago dos Quatro Cantões. Aproveite para explorar a “orla”, atravesse a Kapellbrücke, uma ponte de madeira construída em 1365 e com mais de 200 metros de extensão. Lucerna também é ótima para compras e possui grandes lojas para compra de relógios e canivetes. Visite também a estação de trem da cidade, toda em vidro e metal e onde também fica o Museu de Arte de Lucerna.

Estive em Lucerna a primeira vez em 1995 e me apaixonei pela cidade. Confesso que em minha última viagem para lá fiquei surpreso com a quantidade de turistas chineses que invadiram a cidade. Mas não é exatamente isso que tem acontecido com todos os destinos turísticos da Europa e do mundo?

Paris

Nesse 12º dia de viagem seguiremos para Paris, passando pela capital da Suíça: Berna, onde almoçaremos e exploraremos um pouco da cidade. Aproveite para conhecer o centro antigo da cidade, que remonta ao início do século XII, às margens do rio Aar. Embora tenha sido atingida por um incêndio em 1945, a reconstrução manteve as características medievais da cidade e incorporou arcadas nas calçadas, que se tornaram marca registrada em suas construções.

Entre os pontos turísticos de Berna tem destaque a Catedral “Berner Münster”, Patrimônio da Unesco, a Torre do Relógio, chamada localmente de Zytglogge, as Praças Bundesplatz e Bärenplatz e o prédio do Bundeshaus, o Parlamento Suíço, esse último bem pertinho da Praça Bärenplatz.

Os últimos quatro dias do roteiro são dedicados a Paris. O roteiro da Europamundo inclui a visita ao Palácio de Versalhes e ao bairro de Montmartre. Você poderá aproveitar o tempo restante para passear pela cidade e conhecer os pontos turísticos tradicionais, como o Bairro Latino, o Museu do Louvre e Torre Eiffel, um passeio de barco pelo rio Sena, ou ainda para explorar a cidade como um morador local, descobrindo o que os parisienses gostam de fazer.

Nos roteiros da Europamundo você ainda tem a opção de incluir paradas, ao adicionar mais dias de hospedagem nas cidades dos roteiros. Se tiver disponibilidade de mais dias de viagem, essa será uma excelente oportunidade para conhecer mais o destino, com ainda mais experiências de imersão nessas cidades.

E aí? Chegou a que conclusão sobre a Slow Travel? Que não tem nada de parado, de chato ou tedioso, não é mesmo? Sempre vai ter um roteiro que será o ideal para você, dentro das suas expectativas, do seu ritmo, do seu gosto.

Gostou? Ficou animado para viajar? Fale com a gente. Teremos o maior prazer em ajudar a planejar a viagem perfeita para você, inclusive de roteiros Slow Travel personalizados ou oferecidos por nossas parceiras, como a Queensberry e Europamundo.

 

Este post tem um comentário

Deixe uma resposta